Chamada de artigos para o número especial “Direito, Economia e Políticas Públicas”

 

A Revista de Estudos Empíricos em Direito, permanentemente aberta para a submissão de artigos científicos e resenhas críticas, abre chamada extraordinária de artigos para um número especial, dedicado ao tema “Direito, Economia e Políticas Públicas”. O volume será publicado em 31 de julho de 2016.

O prazo para envio dos artigos, para posterior avaliação, é 1° de março de 2016

 

Sobre o número especial “Direito, Economia e Políticas Públicas”

O estudo das relações que se estabelecem entre a Economia e o Direito encontra, no plano empírico, uma multiplicidade de aplicações e métodos. O campo das políticas públicas oferece, por seu turno, uma miríade de possibilidades de investigação aplicada. O número especial da Revista abarcará trabalhos que explorem abordagens jurídicas empíricas – quantitativas e qualitativas – em intersecção com outras áreas, como a Sociologia Econômica, a Economia Política, a Antropologia Econômica e a Estatística. Em vista disso, o volume especial trará estudos destinados a compreender a formação, o funcionamento e a análise de efeitos de normas, processos e instituições jurídicas envolvidas na regulação da economia em um sentido amplo, abrangendo, em particular, as políticas públicas em meio sua notável variedade e amplitude setorial.

Pesquisas empíricas e estudos metodológicos ou epistemológicos realizados nos diversos campos das Ciências Sociais poderão ser avaliadas para compor o volume especial, desde que enfrentem o tema-mote “Direito, Economia e Políticas Públicas”.

 

Sobre a Revista de Estudos Empíricos em Direito

A Revista aceita trabalhos de diferentes áreas do conhecimento, desde que se enquadrem em sua linha editorial da revista, que se dedica à pesquisa empírica em Direito e reflexões metodológicas e epistemológicas relacionadas.

Há três eixos principais de interesse da Revista: i) resultados de pesquisas empíricas que tematizem algum aspecto do direito; ii) reflexões epistemológicas sobre a pesquisa empírica em direito; e iii) reflexões de cunho metodológico sobre a pesquisa social que possam ser úteis para o pesquisador na área do direito.

São aceitos trabalhos em português, inglês e espanhol.

Ao submeter trabalhos, os autores reconhecem e concordam que:

  1. opiniões expressas nos artigos são de inteira responsabilidade de seus autores;
  2. o trabalho é original e inédito no Brasil;
  3. o trabalho não está em análise para publicação por outros periódicos;
  4. os trabalhos submetidos à Revista serão publicados sob licença Creative Commons, podendo ser reproduzidos desde que feita menção à publicação original.

Para informações e esclarecimentos, envie e-mail para: reed.revista@gmail.com

 

Documentos aceitos

São aceitos trabalhos em português, inglês e espanhol.

São aceitos para publicação artigos, traduções e resenhas. Os artigos devem ser inéditos em língua portuguesa e não devem estar sob avaliação para publicação por outros periódicos. A publicação de traduções e resenhas fica a critério dos editores.

 

Normas de submissão

Para a submissão de trabalhos, o autor deve se cadastrar no site da revista (reedrevista.org), preencher os dados requisitados e seguir as indicações para envio do texto.

Alternativamente, os artigos podem ser enviados para o e-mail da revista (reed.revista@gmail.com) com uma versão identificada e uma versão não identificada, além de um arquivo separado no qual conste nome do autor, nome do artigo, contato do autor e a filiação institucional atual do autor.

Os textos podem ser enviados em língua portuguesa, inglesa ou espanhola e serão publicados na língua original. Quando em português, o trabalho deve seguir as regras do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Os trabalhos devem ter de 20 a 30 laudas e ser formatados no seguinte padrão: folha A4; margens superior, inferior, direita e esquerda 2 cm; fonte times new roman 12; espaçamento entre linhas de 1.5; alinhamento justificado. Trabalhos cujo tamanho foge ao especificado poderão ser aceitos em caráter excepcional, à critério dos editores, em virtude da qualidade da contribuição.

 

Os trabalhos devem ser estruturados conforme o seguinte padrão:

  1. Nenhuma forma de identificação do(s) autor(es) deve estar presente no texto;
  2. Folha de rosto com título, resumo e palavras-chave na língua original;
  3. Segunda página com título (title), resumo (abstract) e palavras-chave (keywords) em inglês (salvo se a língua original for inglês);
  4. Os resumos devem conter de 100 a 250 palavras cada;
  5. As palavras-chave devem ser no máximo 5;
  6. A primeira página do artigo deve conter um sumário numerado (ex: 1. Introdução. 2. A pesquisa empírica em duas vertentes. 2.1. A pesquisa empírica qualitativa. 2.2. A pesquisa empírica quantitativa. 3. A pesquisa empírica em direito. 3.1. A conjuntura do incentivo à pesquisa em direito. 3.2. Variedades da pesquisa empírica em direito. 4. Conclusão. 5. Referências).
  7. Corpo do texto
  8. Referências

 

As citações feitas no corpo do texto devem seguir o formato “autor, ano, página”. Citações literais com mais de três linhas deverão conter recuo de 4 cm e espaçamento entre linhas simples, fonte tamanho 10, sem aspas e sem itálico. As notas devem ser limitadas ao mínimo necessário.

Recomenda-se limitar as notas de rodapé ao mínimo necessário.

As referências, ao final do trabalho, devem estar no formato APA.

 

Política de avaliação

A avaliação dos artigos será feita inicialmente pelo Comitê Editorial da Revista, que aferirá tanto a adequação formal do trabalho às normas de submissão, quanto a sua pertinência para a linha editorial. Após essa primeira etapa eliminatória, os artigos são remetidos para (ao menos) dois avaliadores anônimos que analisam o conteúdo e a qualidade do trabalho, sem conhecimento de sua autoria. Uma vez emitidos os pareceres desses dois avaliadores, os editores decidem pela aprovação direta, aprovação condicionada a modificações ou recusa do artigo. Essa decisão se baseia tanto no julgamento de mérito feito pelos pareceristas, quanto no julgamento de mérito e de conveniência para a revista feito pelos editores. Os autores dos trabalhos não aprovados podem ressubmetê-los a uma nova avaliação desde que tenham retrabalhado ou reestruturado o artigo em função das críticas recebidas.

Todos os avaliadores são professores e/ou pesquisadores com reconhecida experiência em pesquisa que aborde algum aspecto do direito.

A Revista se esforça para dar uma resposta a todas as submissões num prazo de 6 (seis) meses. Os pareceristas dispõem de um mês para emitir sua avaliação. No entanto, em virtude tanto da dificuldade eventual de se encontrar pareceristas quanto dos atrasos em que estes podem incorrer, esse prazo não pode ser garantido.